terça-feira, 25 de março de 2014

O mistério da casa na ponte é o tema da 39ª Blogagem coletiva do Café entre amigos


           Cansados de pagar impostos altos e de corrupção, eu e minha esposa decidimos mudar de cidade, foi então que achamos ao norte de Transilvânia uma vila onde a paisagem era deslumbrante, com serras, penhascos e matas nativas com cachoeiras, e não muito longe dessa  vila achamos uma casa antiga com design colonial que após inspecionar  não tinha muita coisa para reformar, e o preço era muito abaixo do mercado de imóvel local,  e o que deu um charme ao imóvel é que estava localizado ao lado da ponte de um rio, o único acesso, então compramos.
            Pela manhã mudamos e então começamos a limpeza e a reforma, a cada móvel  que descobria alguma coisa esquisita acontecia,  depois de muito serviço ao entardecer estava todos os móveis limpos e casa arrumada, então depois de um dia agitado fomos dormir, e ai foi que tudo aconteceu.
            Durante a noite não conseguimos dormir devido um  barulho de marretadas. Ao acordar vimos a do jeito que a deixamos toda arrumada, então passamos a arrumar a estrutura, adentramos ao porão e vimos um monte de pedras quebradas por todos os lados e ao remove-las surgiu uma passagem meio que disfarçada entre as rochas estreita, dava para passar somente rastejando, após alguns metros dava acesso a um salão de extrema beleza em estalactites e estalagmite além de um lindo lago, e desse salão saia diversos túneis de onde  vinha um estranho barulho e luzes, então retornamos para a casa.
             Fomos a cidade comprar mantimentos e materiais, e quando passávamos todos comentavam algo sobre nós, foi então que entramos em uma loja e uma senhora sabendo que moramos na casa da ponte pacientemente nos contou que ninguém que mudou la parou devido aos barulhos e coisas estranhas que aconteciam, que a casa tinha fama de mal assombrada.
              Foi então que decidimos não continuar a reforma até resolvermos o pequeno problema que surgiu, então novamente de posse de lanternas e cordas   adentramos a passagem e no salão escolhemos um túnel e caminhamos por mais de uma hora e não encontrávamos o final, então após uma curva demos de cara com casas pequenas, ruas estreitas, que ao olhar melhor vimos se tratar de uma vila subterrânea em um enorme salão, com pequenos moradores que nos avistaram e levaram até o ancião que depois de muita desconfiança nos contou a história de seu povo, e que a casa da ponte tinha sido construída por eles para ser um portal entre o subterrâneo e o mundo externo, daí a explicação para os barulhos e as luzes.
               Então foi feito um acordo, e nos ajudaram a reformar toda a casa e fizeram outra abertura no porão saindo para o mundo, e assim temos a casa mais segura da vila, pois ninguém se aproxima, e estamos vivendo e convivendo com o mistério da casa na ponte.

By: Waldir Galis

Meus poemas e contos estão registrados

myfreecopyright.com registered & protected